China presenteia Taiwan com pandas gigantes

O presidente de Taiwan revelou no sábado dois pandas gigantes que recebeu de presente da China, mas não deu importância às implicações políticas do presente. Em Taiwan, há quem considere o gesto uma tentativa da China de avançar na sua política de reconquista da ilha, considerada pelos chineses uma província rebelde. Mas o presidente Ma Ying-jeou disse, em cerimônia à qual compareceram o prefeito de Taipé e cerca de 500 crianças órfãs ou pobres: "Devemos ser um pouco mais humanitários e um pouco menos políticos." Os pandas receberam os nomes de Tuan Tuan e Yuan Yuan -- juntos, os nomes significam "reunião". Para o presidente Ma, esta é uma chance de Taiwan provar para o mundo que pode conservar animais ameaçados de extinção. A China reclama o controle sobre Taiwan desde o fim da guerra civil, em 1949. O país prometeu retomar o controle sobre a ilha, se necessário, com o uso da força. Mas as relações entre os dois têm melhorado desde que Ma, que é amigável com a China, assumiu o gabinete, em maio. Presentear a ilha com pandas é a forma mais sutil e comum que a China tem de reclamar seu controle sobre Taiwan. A China começou a fazer tais ofertas em vez de ameaças militares em 2005, a fim de impressionar o povo taiuanês. A partir de segunda-feira, pelo menos 22 mil pessoas poderão ver diariamente os pandas, no zoológico de Taipé. Os animais vão ficar em um complexo no valor de 8,96 milhões de dólares, com jardim, depois de um mês em quarentena, por motivos de segurança. Desde 1957, a China já enviou pandas a outros países, como o Japão, os Estados Unidos e a ex-União Soviética.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.