China proíbe banquetes luxuosos e álcool para militares

Medida é tentativa de combater corrupção entre autoridades.

BBC Brasil, BBC

22 de dezembro de 2012 | 09h18

Um decreto publicado pelo governo chinês proíbe que militares do país realizem banquetes luxuosos, com bebida alcoólica e excesso de comida.

A medida foi anunciada pelo governo central no começo deste mês, na tentativa de combater a corrupção entre militares.

A agência de notícias Xinhua noticiou neste sábado que festas e coquetéis de militares não poderão mais ter fartura de comida e bebida alcoólica. Regras semelhantes também se aplicarão a algumas festas e coquetéis de autoridades civis.

O decreto do comitê central do Partido Comunista chinês - que inclui civis e militares - estabelece oito mudanças que precisam ser feitas na conduta de autoridades governamentais.

Os oficiais não poderão mais ficar hospedados em hotéis de luxo durante viagens de inspeção pelo interior do país. Também haverá um limite para o uso de sirenes durante as visitas.

Faixas com mensagens de boas-vindas, tapete vermelho, presentes e arranjos florais também estão proibidos.

"Os oficiais da Comissão Militar também precisarão disciplinar seus cônjuges, filhos e subordinados para se certificar que eles não aceitem propinas", afirma a notícia publicada pela Xinhua. O decreto foi publicado no dia 4 de dezembro.

Segundo a agência chinesa, Pequim foi o primeiro município a adotar o decreto para suas autoridades civis.

O novo líder chinês, Xi Jiping, já discursou algumas vezes sobre a importância de se combater a corrupção no país, que pode alimentar a insatisfação popular. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.