China proíbe membros do governo de fumar em público

A China baniu membros do governo de fumarem em locais públicos, de modo a servirem de exemplo para o restante do país, que possui o maior número de fumantes do mundo.

AE, Agência Estado

30 Dezembro 2013 | 03h49

A agência de notícias oficial do governo, Xinhua News, disse que os membros do governo não poderão fumar em escolas, hospitais, eventos esportivos, transportes públicos ou em qualquer outro lugar onde o fumo está banido. Oferecer cigarros enquanto estiver em serviço oficial também está proibido, assim como eles não podem usar dinheiro público para comprar cigarros. Produtos com tabaco também não poderão ser vendidos ou anunciados no Partido Comunista ou nos escritórios do governo.

A agência de notícias disse que as regras foram escritas em uma circular do Gabinete do governo chinês.

Não há uma lei nacional proibindo o fumo em locais públicos fechados, mas o governo tentou proibir essa prática no passado. Em 2011, o Ministério da Saúde formulou as linhas gerais para a proibição do fumo em locais como hotéis e restaurantes, mas elas nunca foram estritamente aplicadas.

"O fumo permanece como um fenômeno relativamente universal em locais públicos. Alguns oficiais fumam em lugares públicos, o que não só prejudica o ambiente e a saúde pública, mas também mancha a imagem do partido, dos escritórios do governo e dos líderes e tem uma influência negativa", afirmou a circular, segundo a Xinhua.

A China tem mais de 300 milhões de fumantes. Estatísticas do governo mostram que o cigarro é uma das maiores ameaças à saúde da população. Em 2012, na comparação com 2002, as vendas de cigarros aumentaram em 50%, para 2,52 trilhões, segundo a Associação Chinesa para o Controle do Tabaco. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ChinaCigarroProibição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.