China promete exportar mais qualidade que quantidade

O país tentará apoiar empresas chinesas investindo no estrangeiro

EFE,

30 de setembro de 2007 | 03h33

O presidente da China, Hu Jintao, prometeu que o país prosseguirá sua integração internacional e mudará o foco de exportações "da quantidade à qualidade", em discurso publicado pela imprensa local neste domingo, 30. Falando a economistas do Partido Comunista da China, Hu declarou que o país deve tentar mudar sua estrutura de comércio exterior, exportando e importando produtos de maior qualidade em vez de promover maior quantidade de exportações. O dirigente destacou que o país, habituado a receber investimento externo, tentará apoiar empresas chinesas investindo no estrangeiro. O Governo chinês atenderá questões que preocupam à comunidade internacional, como a qualidade das exportações, a proteção ao meio ambiente junto com a responsabilidade da China na mudança climática, além do combate à pirataria. O país "precisa promover sua segurança econômica para enfrentar a intensa concorrência global", disse o presidente da China. Analistas do jornal "South China Morning Post", de Hong Kong, estimam que, apesar de as palavras de Hu não serem muito diferentes das de discursos anteriores, são importantes no contexto, a poucos dias do XVII Congresso do Partido. No evento serão eleitos os líderes do Partido para os próximos cinco anos. Espera-se uma nova disputa entre conservadores e reformistas para consolidar suas teorias econômicas. A geração de dirigentes liderada por Hu acredita que devem-se moderar as teorias econômicas de seus antecessores Deng Xiaoping e Jiang Zemin, nas quais o desenvolvimento da economia estava acima de tudo, para iniciar políticas mais sociais a fim de frear o descontentamento entre os setores desfavorecidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.