China promete mais segurança após ataque em Pequim

O vice-presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim, Wang Wei, prometeu reforçar as medidas de segurança na capital do país depois de um ataque no qual o sogro do técnico da equipe norte-americana de vôlei foi morto a facadas. "Pequim está segura, mas não imune a atos violentos. Todos fomos surpreendidos", disse Wang.Segundo ele, "o ataque de sábado foi um ato criminoso isolado, sem relação com os Jogos". Todd Bachman, sogro do técnico da seleção de vôlei dos EUA, Jugh McCutcheon, e sua mulher, Barbara, foram atacados em um local turístico de Pequim no sábado à noite; Bachman morreu e Barbara permanecia hospitalizada em estado crítico na noite de domingo; o guia turístico que os acompanhava também foi ferido e o atacante, identificado pela agência oficial chinesa Xinhua como Tang Yongming, de 47 anos, suicidou-se em seguida.O presidente da China, Hu Jintao, pediu desculpas pelo ataque pessoalmente ao presidente dos EUA, George W. Bush. "Quero exprimir minha simpatia sincera a você e à família das vítimas por causa desse incidente lamentável", disse Hu. O vice-ministro das Relações Exteriores da China, He Yafei, visitou os sobreviventes do ataque no hospital. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.