China promete US$ 6,5 bi para projeto de energia nuclear paquistanês

A China garantiu 6,5 bilhões de dólares para financiar a construção de um grande projeto de energia nuclear na cidade portuária de Karachi, no Paquistão, ao mesmo tempo em que busca fortalecer os laços com seu parceiro estratégico, disseram autoridades paquistanesas.

Reuters

25 de dezembro de 2013 | 17h17

O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, deu o primeiro passo para o projeto de 9,59 bilhões de dólares no mês passado, mas as autoridades forneceram poucos detalhes sobre como eles planejam financiá-lo.

Os documentos de financiamento vistos pela Reuters mostram que a China National Nuclear Cooperation (CNNC) prometeu conceder o empréstimo de, pelo menos, 6,5 bilhões de dólares para financiar o projeto, que terá dois reatores com capacidade de 1.100 megawatts cada.

Dois membros da equipe de energia do governo e três fontes próximas ao acordo confirmaram isso. A CNNC não estava disponível para comentar o assunto.

A China tem total confiança na capacidade do Paquistão de administrar uma usina de energia nuclear com todos os requisitos, disse Ansar Parvez, presidente da Comissão de Energia Atômica do Paquistão, que administra o programa nuclear civil.

Dessa maneira, o desempenho e capacidade das usinas de energia nuclear no Paquistão será muito melhor, em comparação com as usinas não nucleares.

Parvez se recusou a dar mais detalhes sobre o financiamento, mas disse que ele será concluído até 2019 e que cada um dos dois reatores será maior do que o poder combinado de todos os reatores nucleares que operam atualmente no Paquistão.

(Por Mehereen Zahra-Malik)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINANUCLEARPAQUISTAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.