China protesta contra venda de aviões de combate americanos a Taiwan

A China apresentou aos Estados Unidos umprotesto formal após as notícias sobre a venda de aviões de combate americanos a Taiwan, o que, segundo Pequim, ameaçaria a paz e a estabilidade no Estreito de Formosa, informa neste sábado a imprensa estatal chinesa. "A China tomou conhecimento das informações e enviou um protesto formal aos EUA", disse Liu Jianchao, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, segundo o Diário do Povo. O texto pede a suspensão da suposta venda para evitar "um dano grave à paz e estabilidade no Estreito de Taiwan e às relações entre China e EUA". A imprensa taiwanesa informou recentemente que Taipé deve reforçar suas Forças Armadas, com 66 aviões de combate F-16D e oito submarinos americanos, para fazer frente a um eventual ataqueChinês. A força aérea taiwanesa conta atualmente com 146 caças F-16 A-B, inferiores aos F-16D, além de 56 Mirage 2000-5 e 128 aviões de combate locais. Segundo a agência chinesa de notícias Xinhua, o presidente George W. Bush se reuniu na quinta-feira passada com o vice-presidente daComissão Central Militar da China, Guo Boxing. Na conversa, ele se comprometeu a manter-se fiel aos três comunicados conjuntos entre os dois países e "opor-se a qualquer tentativa de mudar o status quo nos dois lados do Estreito de Taiwan".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.