China realiza sua primeira conferência sobre aids

A China inaugurou hoje a primeira conferência sobre aids de sua história, prometendo destinar mais recursos à luta contra a doença. Mais de 2.700 participantes de 20 nações - médicos, sociólogos, educadores e representantes do governo chinês - participam da conferência, que terá duração de quatro dias e que analisará também caminhos para reduzir outras doenças sexualmente transmitidas. O objetivo das autoridades de saúda da China é o de reduzir o crescimento de novas infecções para 10% ao ano até 2005. Especialistas estimam que mais de 600.000 chineses - em uma população de 1,26 bilhão - estão infectados com o HIV, vírus que causa a aids. "Esta é uma oportunidade de explorar caminhos futuros", disse Zhu Zhongshan, chefe do Departamento de Saúde de Pequim. De acordo com especialistas, a aids sempre foi considerada um tabu para o governo chinês. No entanto, o alarmante crescimento anual da doença - hoje por volta de 30% - começou a mudar a atitude das autoridades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.