China realiza teste de sistema de interceptação de mísseis

Notícia foi dada pouco tempo após Taiwan dizer que EUA aprovaram venda de foguetes ao território chinês

Agência Estado e Dow Jones,

12 de janeiro de 2010 | 09h38

A China informou nesta terça-feira, 12, que testou com sucesso um sistema de interceptação de mísseis que analistas descreveram como uma demonstração de suas avançadas capacidades de defesa aérea.

 

"A China realizou um teste com tecnologia de interceptação de mísseis terrestres de médio alcance, em seu território, que atingiu seu objetivo", disse a porta-voz do Ministério de Relações Exteriores Jiang Yu. "Este teste é defensivo por natureza, não tem como alvo qualquer outro país e é consistente com a política de defesa nacional da China", disse Jiang.

 

A notícia foi dada pouco depois de uma autoridade americana em Taipé ter afirmado que o Pentágono havia aprovado a venda de mísseis Patriot para Taiwan como parte de um pacote aprovado pelo Congresso mais de um ano atrás.

 

Pequim, que considera Taiwan parte de seu território e prometeu recuperar a ilha, pela força se necessário, expressou várias vezes sua oposição às vendas e pediu que Washington cancelasse o acordo.

 

O Ministério de Defesa da China advertiu no final de semana que se reservava o direito de tomar ações, não especificadas, se Washington seguisse com a venda e chamou a medida de um "grave obstáculo" para os laços militares entre China e os EUA.

 

Os EUA são os principais fornecedores de armas para Taiwan, mesmo tendo alterado o reconhecimento diplomático de Taipé para Pequim em 1979.

 

Demonstração de força

 

Mas analistas dizem que enquanto o teste chinês mantém a pressão sobre os EUA a respeito de seus acordos com Taiwan, ele provavelmente foi realizado como uma demonstração geral de força.

 

"Parece bastante significativo para mim", disse Richard Bitzinger, especialista em Exército chinês da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura. "A informação é bastante escassa, mas o fato importante é que eles realizaram uma interceptação de míssil com sucesso".

 

Scott Harold, analista da Rand Corporation, concorda. "Eu fico inclinado a ver o teste como um avanço - embora boa parte não esteja claro por causa da falta de mais informações - na direção da defesa de mísseis."

 

Arthur Ding, especialista da Universidade Nacional Chengchi, de Taiwan, disse que o teste envia um "sinal político para os Estados Unidos e para outros países de que a China está preparada para operações aéreas, operações completas de qualquer país."

 

"Não há informações detalhadas então é muito difícil afirmar o que a China conquistou, mas pelo menos ele mostraram uma tendência de que a defesa aérea é uma área para uma ampla modernização militar", disse ele.

 

A China tem investido em suas Forças Armadas nos últimos anos como parte de uma importante mudança para melhorar os equipamentos usados pelos 2,3 milhões de militares.

 

Os gastos das Forças Armadas chinesas subiram 15,3% em 2009 para US$ 69 bilhões, segundo o orçamento apresentado ao Parlamento em março, o último aumento de uma década de elevações de dois dígitos.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinatestemíssilTaiwanEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.