China rechaça críticas da ONU sobre Tibete

O governo da China rechaçou com veemência nesta segunda-feira as críticas da Organização das Nações Unidas (ONU) à forma como Pequim lida com a turbulência em áreas do Tibete onde têm sido frequentes atos de autoimolação e outros protestos.

AE, Agência Estado

05 de novembro de 2012 | 09h01

Na sexta-feira, a comissária de direitos humanos da ONU, Navi Pillay, pediu às autoridades chinesas que busquem meios melhores de lidar com o descontentamento dos tibetanos e que permitam a visita de monitores à região.

Hong Lei, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, acusou o dalai-lama, líder espiritual dos tibetanos no exílio, de instigar as manifestações. Dezenas de tibetanos étnicos se imolaram desde março de 2011 em atos de protesto contra o domínio chinês.

Segundo o porta-voz da chancelaria chinesa, o dalai-lama busca glorificar esses atos para depois usá-los como maneira de criticar o governo chinês. O dalai-lama declara-se contrário a todo o tipo de violência. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaTibeteONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.