China reconhece que Polícia disparou contra manifestantes no Tibete

A Polícia abriu fogo "em defesa própria" no domingo passado e feriu quatro manifestantes no condado de Aba

EFE,

21 de março de 2008 | 01h30

A China reconheceu pela primeira vez que a Polícia disparou contra os manifestantes tibetanos, concretamente na província sudoeste de Sichuan, segundo informa nesta sexta-feira o jornal oficial "China Daily". A Polícia abriu fogo "em defesa própria" no domingo passado e feriu quatro manifestantes no condado de Aba, disse um funcionário do escritório de segurança pública à agência oficial de notícias "Xinhua". Os manifestantes, explicou, queimaram uma estação policial, atacaram os agentes armados com facas, e lutaram para se apoderar de suas armas. De início, os policiais fizeram disparos de advertência, mas ao não conseguirem deter os manifestantes "se viram obrigados a abrir fogo em defesa própria", acrescentou a fonte. A China reconheceu que os protestos na capital tibetana, Lhasa, tinham se estendido às províncias de Sichuan e Gansu, onde há uma grande comunidade tibetana. O ministro de Assuntos Exteriores chinês, Yang Jiechi, falou na noite de quarta com sua colega americana, Condoleezza Rice, sobre os protestos tibetanos, informou a "Xinhua". Yang ressaltou que "os violentos crimes na região tibetana foram organizados, premeditados e dirigidos pelo grupo do Dalai Lama, com a colaboração de forças separatistas nacionais e estrangeiras".

Tudo o que sabemos sobre:
TIBETE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.