China reforça controle de radiação em seus portos por vazamentos em Fukushima

Medida reflete o temor com a eventual chegada de mercadorias contaminadas, especialmente provenientes do Japão

Efe,

16 de março de 2011 | 03h25

 

PEQUIM - A China pediu que todos seus portos reforcem os controles e supervisão para detectar níveis elevados de radiação em mercadorias que chegarem ao gigante asiático, informou a Administração Geral de Inspeção e Quarentena da China através de seu site.

 

A medida reflete o temor com a eventual chegada de mercadorias contaminadas, especialmente provenientes do Japão.

 

Veja também:

blog Twitter: Siga a correspondente Cláudia Trevisan, que está no Japão

especial Infográfico: Entenda o terremoto maiores tragédias dos últimos 50 anos

documento Relatos: envie textos, vídeos e fotos para portal@grupoestado.com.br

som Território Eldorado: Ouça relato do embaixador e de brasileiros no Japão

mais imagens Galeria de fotos: Tremor e tsunami causam destruição

blog Arquivo Estado: Terremoto devastou Kobe em 1995

 

Em várias cidades japonesas se detectou radiação após os vazamentos ocorridos na usina nuclear de Fukushima, incluindo Tóquio, onde os níveis de radioatividade ficaram até 20 vezes maiores que o habitual.

A China vigia sua costa desde o sábado, um dia depois do terremoto de 9 graus na escala Ritcher e o posterior tsunami que danificou a usina de Fukushima, no nordeste do Japão, mas por enquanto não detectou níveis anormais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.