China reformará Constituição após escândalo de Bo Xilai

O Partido Comunista Chinês está revisando as preparações para a iminente transição de poder e anunciou que irá modificar a Constituição do país durante o Congresso que será realizado daqui a algumas semanas. Segundo a agência de notícias estatal Xinhua, a decisão aconteceu após os 25 membros da cúpula do partido, o Politburo, terem reunido-se nesta segunda-feira. A Xinhua não deu mais detalhes sobre as reformas.

AE, Agência Estado

22 de outubro de 2012 | 13h53

O Partido pode estar considerando reforçar o Estado de Direito na China, afirmou o especialista em política chinesa do Instituto Brookings, Cheng Li. Isso faria a liderança do país parecer mais transparente perante o público, após as disputas internas do Partido terem sido expostas durante o escândalo que derrubou Bo Xilai, que era figura política em ascensão.

Ainda nesta segunda-feira, um grupo de esquerdistas chineses enviou uma carta aberta ao Parlamento pedindo que não expulse Bo do Partido. A missiva, assinada por mais de 700 acadêmicos e ex-oficiais, foi publicada no site China Vermelha. Segundo a BBC, os signatários afirmaram que a expulsão é legalmente questionável e politicamente motivada. Bo caiu em desgraça quando autoridades descobriram que sua esposa assassinou o empresário britânico Neil Heywood. As informações sã da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinapolíticaPartido Comunista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.