China registra novo caso de contaminação de alimentos

As autoridades de uma cidade do sul da China detectaram uma toxina cancerígena em amendoins e óleo de cozinha, o que se soma a um escândalo recente relacionado ao leite contaminado com melanina.

AE, Agência Estado

31 de dezembro de 2011 | 17h19

O órgão regulador de alimentos, em Shenzhen, informou que foram constatados níveis excessivos de aflatoxinas em amendoins vendidos em três estabelecimentos e no azeite de cozinha utilizado em quatro restaurantes, informou a agência estatal China Nova. A AFP tentou entrar em contacto com o Escritório da Supervisão de Mercados de Shenzhen, mas não obtive resposta.

O anúncio aconteceu depois da revelação, no final de semana passada, pela empresa de laticínios Mengniu, uma das líderes do setor, que as autoridades encontraram altos níveis de aflatoxinas em um lote de leite antes de ser posto à venda. A contaminação surgiu depois que vacas de uma criação do sudeste de China consumiram alimentos mofados.

As autoridades da província de Guangdong (onde fica Shenzhen) chegaram a retirar das prateleiras dos supermercados os óleos produzidos por três marcas, devido ao alto teor desta substância cancerígena.

As aflatoxinas, que afetam grãos e outros produtos agrícolas, podem aumentar o risco de câncer, principalmente o de fígado, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

A contaminação do leite foi um dos grandes escândalos que a China enfrentou em 2008. Na época, autoridades encontraram a substância melanina ilegalmente adicionada em produtos derivados do leite para dar aparência de conter alta proteína. Pelos menos seis crianças morreram e outras 300 mil ficaram doentes após tomarem o leite contaminado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaamendoincontaminação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.