China rejeita crítica dos EUA por direitos humanos

A China rejeitou na quinta-feira as críticas dos Estados Unidos à situação dos direitos humanos no país, dizendo que Washington deveria colocar a própria casa em ordem antes de falar dos outros. Como ocorre todos os anos, o Departamento de Estado norte-americano criticou na quarta-feira a situação dos direitos humanos na China, dizendo que a perseguição a dissidentes, advogados e ativistas disparou na época de eventos importantes, como a Olimpíada de agosto em Pequim. A chancelaria chinesa disse que o governo local manteve um alto nível de "proteção e respeito" pelos direitos humanos. "Em mais de 30 anos de desenvolvimento e reformas vimos um constante desenvolvimento da economia, a liberdade religiosa foi protegida, e todos os grupos étnicos da China têm cada vez mais e mais liberdades e direitos", disse o porta-voz Ma Zhaoxu em entrevista coletiva. "Pedimos aos EUA que admitam seus próprios problemas de direitos humanos, e que não usem os diretos humanos como desculpa, nem publiquem relatórios de direitos humanos a fim de interferir nos assuntos internos dos outros." (Reportagem de Lucy Hornby)

REUTERS

26 de fevereiro de 2009 | 09h26

Tudo o que sabemos sobre:
CHINADHUMANOSRESPOSTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.