China: relação pacífica com Taiwan é 'caminho correto'

O desenvolvimento pacífico das relações entre Taiwan e Pequim, durante o primeiro mandato do presidente taiwanês Ma Ying-jeou, é o "caminho correto", afirmou o Escritório para Assuntos de Taiwan, integrante do Conselho Estatal da China, neste sábado. Um comunicado do órgão foi divulgado após a reeleição de Ma.

AE, Agência Estado

14 de janeiro de 2012 | 14h23

Em comunicado, o escritório chinês afirmou que deseja "unir as mãos com Taiwan", rechaçando as propostas de "independência de Taiwan" e aferrando-se ao consenso de 1992, segundo o qual China e Taiwan formam apenas "uma China", mas com os dois lados podendo definir o que isso significa. O reconhecimento a esse consenso é colocado por Pequim como fundamental para qualquer diálogo com autoridades taiwanesas.

A Casa Branca e o Departamento de Estado dos EUA parabenizaram Ma pela reeleição. Em comunicado, o governo norte-americano disse que a paz no Estreito de Taiwan entre a ilha e a China era "de profunda importância para os Estados Unidos". Uma porta-voz do Departamento de Estado elogiou a eleição "livre e justa". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Taiwaneleiçãoreação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.