China retira funcionários da embaixada de Bagdá

O Governo chinês informou nesta segunda-feira que vai retirar parte do seu pessoal da embaixada em Bagdá. Zhang Qiyue, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, disse que a decisão foi tomada por precaução devido à possibilidade cada vez mais clara de uma guerra no Iraque. China, que é membro permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, é a favor de uma solução diplomática entre Washington e Bagdá. Pequim propôs que se dê mais tempo aos inspetores de armas da ONU para completar as inspeções. Diplomacia - Incidentes como o bombardeio acidental a Embaixada da China em Belgrado, em maio de 99, durante a Guerra de Kosovo, e a interceptação de um avião espião norte-americano, no sul da China, em abril de 2001, deixaram as relações diplomáticas entre Estados Unidos e China estremecidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.