China revela seu novo caça fabricado no país

A China exibiu seu caça nacional Jian-10, marcando um "salto histórico adiante" e diminuindo a distância tecnológica com as principais potências militares do mundo, informou a mídia estatal no sábado. A China é o quarto país no mundo capaz de desenvolver sua própria frota de caças avançados, máquinas e mísseis ar-ar, disse o Diário do Povo, porta-voz do Partido Comunista em um artigo de primeira página. O jornal não identificou os outros três países, mas analistas da área de defesa disseram que aparentemente o país comunista se referia aos Estados Unidos, Rússia e França. "O Jian-10 é superior ao SU-27, mas inferior ao SU-30," disse uma fonte militar, falando sob condição de anonimato à Reuters, referindo-se aos caças Sukhoi russos. Um vídeo de cinco minutos de duração foi exibido a jornalistas chineses em Pequim na sexta-feira, mostrando como o avião decola, pousa, dispara mísseis e voa em formação, disse a agência de notícias oficial Xinhua. Os jornalistas estrangeiros foram proibidos de participar da coletiva de imprensa. O Diário de Pequim, outros jornais e portais da Internet exibiram fotografias dos caças decolando e dos pilotos marchando ao lado de uma fileira de aeronaves. "Cada vez mais torna-se aparente que o J-10 tem o potencial de se transformar em um dos caças mais significativos nas próximas décadas", disse o site Globalsecurity.org. Mas a Xinhua citou especialistas militares não identificados que teriam dito que o Jian-10 não pode igualar a performance dos caças norte-americanos de quarta geração, embora seu design e equipamento nacionais sejam comparáveis aos principais caças do Ocidente. Segundo o site Sinodefence.com, cerca de 300 Jian-10 podem ser produzidos. O Jian-10 voou pela primeira vez em 1998 e entrou no serviço da Força Aérea da China em 2003, disse o sinodefence.com, acrescentando que o avião é um "caça que pode voar sob qualquer tempo, e se sai bem em qualquer terreno, capaz de desenvolver combates ar-ar e ar-terra." "(O caça) é uma marca nos campos de pesquisa e desenvolvimento de aeronaves pesadas de guerra da China", disse à Xinhua Liu Gaozhuo, comandante-executivo em chefe do programa Jian-10.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.