China se posiciona contra novas sanções da UE ao Irã

A China se opõe às sanções que a União Europeia (UE) está impondo ao Irã por causa do programa nuclear do regime de Teerã. Uma porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China disse que o diálogo e meios diplomáticos são a melhor forma de resolver a questão. As declarações de Jiang Yu, feitas hoje, foram colocadas no site do ministério e repercutem uma posição antiga da China.

AE-AP, Agência Estado

30 de julho de 2010 | 11h00

A UE e o Canadá adotaram na segunda-feira novas sanções contra o Irã que afetam o comércio exterior e os setores bancário e de energia. As nações temem que o programa nuclear do país esteja sendo usado para a produção de armas. O Irã nega.

Graduados funcionários norte-americanos afirmaram ontem que viajarão em breve para a China, o Japão, a Coreia do Sul e os Emirados Árabes Unidos para exigir que esses países ajam em conformidade com as novas medidas do Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) contra o Irã.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãnuclearChinaUEsanções

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.