China segue exemplo do Brasil e passa a fichar americanos

Assim como o Brasil, a China também decidiu registrar as impressões digitais dos cidadãos norte-americanos que desembarcam nos portos e aeroportos do país. A medida foi adotada na última terça-feira, em retaliação à postura dos EUA, que decidiu cadastrar os chineses."O governo considera que essa medida dos Estados Unidos é injusta porque não atinge todos os países. Um governo soberano deve ter uma resposta racional", afirma Shang Deliang, conselheiro da Embaixada da China no Brasil. Segundo ele, o governo chinês continua as conversações com os norte-americanos na busca de soluções.O Brasil foi o primeiro país a adotar o critério de reciprocidade no tratamento a viajantes. A partir de agora, a embaixada chinesa nos EUA vai fazer entrevistas com norte-americanos que desejarem viajar para o país asiático. Até os diplomatas vão precisar de vistos nos passaportes para viagens pessoais. No ano passado, os dois países tiveram intercâmbio de mais de 1 milhão de viajantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.