China: seguradoras pagaram US$ 33,5 mi por causa de tremor

Após o terremoto, empresas calcularam que valor a ser pago poderia chegar a US$ 1,93 bilhão

Efe,

05 de junho de 2008 | 03h03

As seguradoras chinesas pagaram até agora um total de 233,5 milhões de iuanes (US$ 33,5 milhões) para cobrir os danos decorrentes do terremoto que atingiu o país em 12 de maio, anunciou a Comissão Reguladora do Mercado de Seguros da China. O número ainda é muito inferior aos 13,5 bilhões de iuanes (US$ 1,93 bilhão) que, poucos dias depois do terremoto, as firmas calcularam que teriam que pagar. Até o momento, as companhias do setor receberam cerca de 220 mil reivindicações e entregaram 142 milhões de iuanes (US$ 20,4 milhões) em seguros de vida. Além disso, as seguradoras de bens materiais e contra lesões pessoais pagaram outros 91,51 milhões de iuanes (US$ 13,1 milhões) tanto a empresas quanto a assegurados individuais. O fato de que os números ainda estejam tão abaixo das previsões iniciais, três semanas depois da catástrofe, pode se explicar em parte pela pouca implantação dos seguros nas zonas rurais do país. Segundo estimativas da própria comissão reguladora do setor, somente 5% das perdas estão cobertas por algum tipo de apólice. A companhia especializada em riscos provenientes de catástrofes naturais AIR Worldwide calculou que as perdas reais da tragédia foram superiores a 140 bilhões de iuanes (US$ 20,026 bilhões). Contudo, os números parecem indicar que não foram efetuadas até o momento todas as cobranças esperadas, já que se calculava que a maior seguradora nacional, China Life, deveria abonar 700 milhões de iuanes (US$ 100 milhões) somente em seguros de vida. Sua concorrente Ping An, a segunda maior do país, esperava reivindicações de mais de 1,6 bilhão de iuanes (US$ 240 milhões). Em comunicado da comissão reguladora, as companhias de seguros lamentaram também a perda de 25 de seus empregados entre as vítimas do terremoto. O terremoto de 8 graus na escala Richter que assolou a província de Sichuan em 12 de maio, e que deixou até o momento quase 70 mil mortos confirmados, afetou cerca de dez milhões de pessoas em uma área de 100 mil quilômetros quadrados, na qual calcula-se que tenham sido devastadas mais 4,3 milhões de casas.

Mais conteúdo sobre:
terremotoChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.