China soma quatro casos de peste bubônica em um mês

Casos não são incomuns no país, mas surtos são raros

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2019 | 02h51

As autoridades de saúde chinesas relataram nesta quinta-feira, 28, um novo caso de peste bubônica na região norte da Mongólia Interior, elevando o número total de casos para quatro desde o início do mês.

Um pastor rural no condado de Siziwang foi diagnosticado com a doença em um hospital local, de acordo com um comunicado divulgado pela comissão de saúde da Mongólia Interior. Antes do diagnóstico, o pastor estava ativo em uma área onde fontes de peste haviam sido identificadas. Ele está em uma condição estável após o tratamento em um hospital local. Quatro outras pessoas foram colocadas em quarentena.

A peste bubônica, conhecida como Peste Negra na Idade Média, é uma doença altamente infecciosa e freqüentemente fatal que se espalha principalmente por roedores. No início deste mês, três pessoas da Mongólia Interior foram hospitalizadas por peste em dois casos separados, relacionados ao consumo de animais selvagens. As autoridades disseram anteriormente que os dois casos não estavam relacionados.

O último caso relatado não está na mesma região da Mongólia Interior e, até agora, não houve vítimas fatais. Casos de peste não são incomuns na China, mas surtos se tornam cada vez mais raros. De 2009 a 2018, o país registrou apenas 26 casos e 11 mortes. /Reuters

 

Tudo o que sabemos sobre:
peste bubônicaChina [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.