China suspende deportação de refugiados norte-coreanos

O governo chinês suspendeu a deportação de refugiados da Coreia do Norte. A medida seria uma retaliação ao lançamento do foguete de longo alcance na última semana, informou o jornal japonês Yomiuri Shimbun, citando funcionários chineses. O artefato norte-coreano explodiu logo após o lançamento. "Se o refugiado é enviado de volta, isto pode representar o fim de sua vida", disse um dos funcionários da província de Liaoning, que tem fronteira com a Coreia do Norte. Segundo ele, a medida reflete a insatisfação do governo chinês com seu problemático vizinho, que "não dispensou a necessária atenção a sua amiga China".

AE, Agência Estado

18 de abril de 2012 | 01h51

A China vinha prendendo e repatriando norte-coreanos por considerá-los migrantes econômicos, não refugiados políticos. A Coreia do Sul e grupos internacionais de defesa dos direitos humanos fizeram apelos a Beijing para que mudasse sua política, com o argumento de que norte-coreanos enfrentam severas punições após o retorno à terra natal. Desde a morte de Kim Jong Il, em dezembro, diariamente cerca de 30 norte-coreanos atravessam a fronteira com a China. As fugas são motivadas, na maioria das vezes, pela pobreza extrema e pela repressão política. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaCoreia do Norterefugiados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.