China tem 2,6 milhões de diagnósticos de câncer por ano

Dado foi divulgado durante o Congresso Mundial do Câncer, que acontece em Shenzen

Efe

19 de agosto de 2010 | 05h11

PEQUIM - A cada ano, 2,6 milhões de pessoas na China são diagnosticadas com câncer, informou nesta quinta-feira, 19, o jornal oficial China Daily, que citou declarações do ministro da saúde da China, Chen Zhu.

Durante o Congresso Mundial do Câncer, realizado na cidade de Shenzen (sudeste da China), o ministro informou ainda que 1,8 milhão de pessoas que recebem o diagnóstico morrem por conta da doença.

Segundo o funcionário, a incidência do câncer na China aumentou em 80% nos últimos 30 anos, se tornando a doença que mais mortes provoca a cada ano.

Chen disse que os índices da doença são maiores nas áreas rurais do país que nas cidades, o que provocou "sérios problemas econômicos com seu correspondente impacto social".

Os tipos de câncer mais comuns no país são os de pulmões, estômago, esôfago e reto, e incidência de câncer de mama está aumentando, segundo o ministro.

De acordo com o presidente da União Internacional contra o Câncer, David Hill, aproximadamente um terço de todos os casos de câncer podem ser prevenidos, "mas é necessária a ação urgente do governo, da comunidade médica e dos indivíduos para deter o aumento do número de mortes pela doença".

A China, que registra 24% das mortes provocadas por câncer no mundo todo, lidera os números de consumo de tabaco, com 350 milhões de fumantes, e de emissões poluentes no planeta.

Tudo o que sabemos sobre:
China, câncer, ano, diagnósticos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.