China tira do ar 23 sites que vendiam remédios ilegais

Sob o nome de hospitais ou instituições médicas eram vendidos os produtos em 25 portais

EFE

30 de março de 2008 | 06h43

Vinte e três portais de internet relacionados com a venda ilegal de remédios e publicidade falsa de produtos farmacêuticos foram fechados pelas autoridades chinesas, anunciou neste domingo a Administração Estatal de Alimentos e Remédios do país. Segundo a fonte, nas páginas eletrônicas eram vendidos remédios falsificados ou fazia-se publicidade de conteúdos ilícitos, tais como informação falsa, exagerada ou enganosa sobre supostas curas para várias doenças. Sob o nome de hospitais ou instituições médicas eram vendidos os produtos em 25 portais, dois deles com sede no estrangeiro, sendo os 23 restantes fechados. Desde julho do ano passado, Pequim intensificou a supervisão e a campanha contra a publicidade ilegal de remédios e com estes já são 51 os portais de internet fechados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.