China ultrapassa EUA em consumo de energia, diz relatório

De acordo com Agência Internacional de Energia, chineses foram menos atingidos pela crise econômica mundial.

BBC Brasil, BBC

20 de julho de 2010 | 22h39

Um relatório da Agência Internacional de Energia, órgão intergovernamental que atua em 28 países, aponta que a China ultrapassou os Estados Unidos pela primeira vez como maior consumidor de energia do mundo.

Dados provisórios divulgados pela agência nesta terça-feira informam que a demanda de energia do país dobrou em apenas uma década, devido ao crescimento populacional e econômico.

Os Estados Unidos vinham sendo os maiores consumidores de energia do mundo há mais de cem anos. Mas o rápido crescimento econômico chinês nas duas últimas décadas tirou o título dos americanos.

A agência afirma que a China assumiu o primeiro lugar no consumo de energia por ter sido menos atingida que os Estados Unidos pela crise financeira mundial.

Dados contestados

A China contestou os dados da Agência Internacional de Energia e afirmou que os números não são confiáveis.

Uma autoridade chinesa do setor de energia, Zhou Xian, afirmou que falta à agência a compreensão dos esforços da China para diminuir o consumo de energia.

De acordo com a correspondente da BBC Vivien Marsh, os números do relatório mostram que, em 2009, a China consumiu cerca de 4% a mais de energia que os Estados Unidos.

E, apesar da ascensão mais rápida do que o esperado do país no ranking da agência, a mudança ocorre em um momento em que o consumo de energia americano está estagnado, com os EUA sofrendo muito mais do que a China devido à crise global.

Marsh afirmou que o chinês médio ainda consome apenas um quinto da energia utilizada pelo americano médio, mas, à medida que aumenta a prosperidade dos chineses moradores das cidades, a perspectiva é de um aumento ainda maior no consumo.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.