China vai cooperar em desafios aéreos e espaciais com outros países

Os participantes apresentaram sugestões sobre a criação de uma associação global das forças aéreas que permita compartilhar sua informação sobre o espaço exterior

EFE

08 Novembro 2009 | 02h54

Mais de 300 oficiais da Força Aérea da China e mais de 30 delegações estrangeiras fecharam o fórum militar internacional realizado em Pequim com o consenso de que as nações devem trabalhar de forma conjunta para enfrentar os desafios aéreos e espaciais, informou a agência "Xinhua".

 

Além disso, os participantes apresentaram sugestões sobre a criação de uma associação global das forças aéreas que permita compartilhar sua informação sobre o espaço exterior.

 

"Trata-se de que as forças aéreas de diferentes países elevem o entendimento e troca, discutam como manter a segurança nos céus e consigam conhecer melhor a China e o ELP (Exército de Libertação Popular da China)", disse o subcomandante da Força Aérea do gigante asiático.

 

O fórum militar sobre paz e desenvolvimento aconteceu por causa do 60º aniversário da Força Aérea do ELP, o maior do mundo com mais de 2 milhões de soldados.

 

Para a celebração deste aniversário o corpo aéreo do ELP está realizando um processo de renovação tecnológica destinado a elogiar o orgulho patriótico, o que preocupa outras potências como os Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.