China vai enviar 3 navios para combater piratas somalis

Piratas da Somália conseguiram cerca de US$ 30 milhões com pedidos de resgate apenas em 2008

AE/AP

21 de dezembro de 2008 | 05h28

A Marinha da China enviará três navios esta semana para a Somália a fim de proteger navios e tripulantes chineses de ataques piratas, segundo a agência de notícias estatal Xinhua News. Dois destróieres e um navio de suprimentos deixarão a ilha-província de Hainan, no sul da China, no dia 26 de dezembro. Eles vão patrulhar o Golfo de Aden e áreas da costa somali, disse o porta-voz do Ministério de Comércio Exterior, Liu Jianchao, em comunicado na noite de sábado. "A maior tarefa deles (dos navios) é proteger a segurança das embarcações e tripulantes chineses bem como os navios que transportam material para as organizações humanitárias", afirmou Liu. A pirataria tem custado um preço alto demais para o transporte internacional, especialmente no Golfo de Aden, uma das linhas marítimas mais utilizadas do mundo. Os piratas conseguiram cerca de US$ 30 milhões com pedidos de resgate este ano, seqüestrando mais de 40 embarcações na costa da Somália.  Liu disse, no início da semana, que cerca de 20% dos 1.254 navios chineses que passaram pela região sofreram ataques piratas. Sete seqüestros envolveram navios e tripulação da China. Segundo especialistas, a maioria das embarcações comerciais não são armadas, o que deixa os tripulantes com poucas opções para se defender dos ataques.

Tudo o que sabemos sobre:
CHINASOMÁLIAPIRATAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.