China volta a defender mais inspeções no Iraque

A China voltou a pedir que o Iraque coopere imediatamente com os inspetores de armas internacionais e reiterou sua posição pacifista e favorável a uma solução no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU) para a crise iraquiana.Autoridades chinesas reconheceram ainda que observaram "alguma cooperação" por parte do governo iraquiano, pressionado pelos Estados Unidos para que se desarme imediatamente ou enfrente uma ação militar.A China ainda considera as inspeções de armas - e não a guerra - a melhor forma de se garantir a paz e a segurança regional, disse Zhang Qiyue, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do país."A China sempre acreditou que a questão iraquiana precisa ser solucionada no âmbito das Nações Unidas", disse Zhang.A China não havia feito mais nenhum pronunciamento oficial sobre o assunto desde a semana passada, quando seu chanceler, Tang Jiaxuan, discursou no Conselho de Segurança da ONU.As entrevistas coletivas de funcionários da chancelaria chinesa são um dos poucos meios de que a imprensa internacional dispõe para ter acesso às posições do governo da China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.