Chinês condenado a 20 anos por colaborar com imprensa

O sociólogo Lu Jianhua, membro da Academia Chinesa de Ciências e que colaborou com o jornal The Straits Times, foi condenado a 20 anos de prisão por "revelar segredos de Estado" a Taiwan, informou nesta quarta-feira o jornal South China Morning Post. A mulher de Lu, Qu Liqiu, disse que um tribunal de Pequim confirmou a sentença, que ela chamou de "ridícula".O julgamento foi secreto e a família não foi sequer informada do dia no qual seria dada a sentença. Qu Liqiu não pôde ver Lu durante o processo.De acordo com o South China Morning Post, Lu escreveu artigos para o jornalista Ching Cheong, de Hong Kong, correspondente na China do cingapurense The Straits Times.Em 31 de agosto, Ching foi condenado a cinco anos de prisão por espionar para Taiwan, uma sentença duramente criticada pela organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF).Segundo a justiça chinesa, Ching, que também trabalhou em Taiwan, enviou os artigos de Lu a uma fundação taiuanesa que, para o governo chinês, é na realidade uma organização de espionagem.O South China Morning Post observou que "só em casos muito graves de revelação de segredos de Estado as penas de prisão são de mais de 10 anos".Lu, de 46 anos, desapareceu em meados do ano passado e só depois se soube que tinha sido detido pelas autoridades e julgado por suposta espionagem. Ele renunciou à defesa e afirmou que não apelaria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.