Chinês morre em acampamento para viciados em internet

Autoridades chinesas investigam a morte de um jovem que supostamente foi espancado num acampamento para o tratamento de viciados em internet. Deng Senshan, de 15 anos, morreu no domingo, menos de um dia depois de seus pais o terem enviado para o acampamento, informou a Xinhua, agência estatal de notícias. Deng foi encontrado vomitando e levado a uma clínica, onde morreu. Segundo a agência, seus companheiros disseram que um professou o espancou. Quatro treinadores do Qihang Salvation Training Camp, localizado na cidade de Nanning, foram detidos.

AE-AP, Agencia Estado

06 de agosto de 2009 | 16h29

Com o caso do adolescente, médicos fizeram apelos para a criação de leis que regulem o centros de tratamento de pessoas viciadas em internet. As controvérsias sobre os métodos usados nesses acampamentos levaram o Ministério da Saúde do país a lançar um alerta, no mês passado, impedindo o uso de terapia de eletrochoque.

O vício em internet é um grande problema na China, porque 200 milhões de usuários têm entre 15 e 35 anos e muitos não têm autocontrole, disse Tao Ran, diretor da primeira clínica de tratamento para viciados em internet em um hospital militar em Pequim. Segundo ele, as mortes em acampamentos ocorrem porque poucos locais usam métodos científicos.

O Congresso Nacional do Povo da China estima que 10% dos usuários de internet com menos de 18 anos sejam viciados. Psicólogos chineses dizem que os sintomas da doença incluem a permanência online por mais de seis horas por dia - jogando ou vendo pornografia, em vez de trabalhar ou estudar - e irritação, quando não se consegue conexão com a rede.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaacampamentomorteinternetvício

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.