Chineses são acusados de assassinato na Argentina

Quatro cidadãos chineses foram detidos no aeroporto de Buenos Aires nesta segunda-feira quando tentavam deixar a Argentina acusados de um duplo homicídio e de um incêndio ocorrido na sexta-feira passada no centro da cidade. As vítimas, também de nacionalidade chinesa, e não coreana, como se informou a princípio, foram encontradas em uma casa do bairro de Caballito com as mãos presas com arames e totalmente carbonizadas, após um incêndio "intencional e com características mafiosas", segundo fontes policiais. As detenções foram feitas após o testemunho de familiares das vítimas, que chegaram ao aeroporto para denunciar os supostos assassinos e alertar que eles tentavam deixar o país. As autoridades argentinas tentavam confirmar esta manhã a identidade dos quatro detidos. O fogo começou de madrugada na casa dos donos de um supermercado da região, em frente ao qual funcionam uma lavanderia e uma tinturaria, cujos proprietários estavam sendo procurados pela Polícia. Após serem avisados por um vizinho, os bombeiros entraram no imóvel e encontraram os corpos carbonizados. Segundo fontes da investigação, acredita-se que a máfia chinesa esteja envolvida no incêndio, organização que administra negócios ilegais entre cidadãos chineses e que já teria estado por trás de outros homicídios com estas características.

Agencia Estado,

17 Abril 2006 | 14h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.