Chineses superam alemães como turistas mais gastadores

Turistas chineses ultrapassaram os alemães como os viajantes que mais gastam no mundo, depois de uma década de robusto crescimento no número de chineses que viajam ao exterior, disse a Organização Mundial de Turismo (OMT), nesta quinta-feira.

Reuters

04 de abril de 2013 | 16h02

Turistas chineses, conhecidos por viajarem em excursões organizadas e por comprarem moda de luxo no exterior, gastaram 102 bilhões de dólares em viagens internacionais no ano passado, ultrapassando viajantes cheios de dinheiro da Alemanha e Estados Unidos.

Turistas chineses gastaram 41 por cento a mais em viagens ao exterior em 2012 do que no ano anterior, superando os cerca de 84 bilhões de dólares desembolsados por alemães e norte-americanos no ano passado.

Turistas de outras economias que crescem rapidamente, e com classes médias cada vez maiores, como a Rússia e o Brasil, também aumentaram seus gastos em 2012. Na Europa atingida pela recessão, no entanto, turistas franceses e italianos frearam seus orçamentos para as férias.

"O impressionante crescimento de despesas de turismo da China e da Rússia reflete a entrada no mercado de turismo de uma classe média crescente nestes países", disse o secretário-geral da OMT, Taleb Rifai.

A Associação Alemã de Viagem (DRV) disse que era esperado que os chineses superassem os alemães em termos de gastos um dia, dado que o país tem mais habitantes do que a América do Norte, a Rússia e a Europa juntos.

"Mas que eles já tenham nos superado é assombroso", disse o presidente da DRV, Juergen Buechy.

Os chineses fazem viagens maiores do que os alemães, que costumam ir a destinos mediterrâneos, o que significa que o gasto em média por férias era maior, acrescentou.

CHEGANDO PERTO

A China é o mercado de fontes de turismo que cresce mais rápido no mundo, graças a rendas disponíveis mais altas na segunda economia do mundo e a restrições menores de viagens para o exterior. Os turistas chineses fizeram 83 milhões de viagens ao exterior em 2012, em comparação a 10 milhões em 2000.

O setor hoteleiro, as empresas de viagens, restaurantes e até motoristas de táxi vão precisar se atualizar sobre o conhecimento que têm da culinária, cultura e língua chinesas se querem convencê-los a se afastar de destinos favoritos como Hong Kong, Taiwan e as Maldivas, disseram autoridades do setor de turismo europeu.

Outros países nos 10 primeiros colocados, incluindo Japão e Austrália, contabilizaram crescimento nos gastos em viagens, apesar de apenas a Rússia ter se aproximado do grande crescimento da China, com um aumento de 32 por cento nos orçamentos de férias.

Os russos agora são o quinto povo que mais gasta com turismo, gastando 34 bilhões de dólares no ano passado, segundo a OMT, sediada em Madri, e se aproximando dos britânicos, que gastaram 52 bilhões de dólares em 2012.

Os gastos dos italianos caíram 1 por cento, para 26 bilhões de dólares em 2012, e os turistas franceses despenderam de 38 bilhões de dólares, uma queda de 6 por cento de ano para ano.

(Reportagem de Clare Kane, em Madri, e Victoria Bryan, em Frankfurt)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINATURISMO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.