Chirac anuncia que não será candidato a um terceiro mandato

O presidente francês, Jacques Chirac, anunciou neste domingo que não será candidato a um terceiro mandato nas eleições presidenciais do país, que serão realizadas em abril.Em pronunciamento à rádio e TV, Chirac afirmou, com sobriedade mas com visível emoção, que a partir do próximo dia 16 de maio servirá à França "de outra maneira. Chirac, de 74 anos e quase 12 à frente da República francesa, desfez a incógnita sobre suas intenções, embora se tivesse praticamente assegurado que não ia concorrer ao que seria sua quinta eleição ao Palácio do Eliseu.O que o presidente não disse foi qual dos candidatos que aspiram a sua sucessão ele dará seu apoio, algo que fará mais adiante, antes do primeiro turno das eleições, que vai acontecer dentro de seis semanas. Os favoritos, segundo as pesquisas, são o conservador Nicolas Sarkozy, a socialista Ségolène Royal e o centrista François Bayrou.O que Chirac pediu a seus compatriotas é que não deixem se levar pelo "extremismo, racismo, anti-semitismo ou rejeição do próximo".A segunda mensagem dirigida aos franceses foi que confiem em seu potencial e no da França e que não temam as evoluções do mundo. A terceira mensagem foi dirigida à Europa: é "vital continuar aconstrução européia". E advertiu que "os nacionalismos que fizeram tanto dano a nosso continente podem renascer a qualquer momento".Sua quarta e última mensagem a seus compatriotas foi centrada na lembrança de que a "França não é um país como os outros" e tem a responsabilidade de "defender a tolerância, o diálogo e o respeitoentre os homens e as culturas", ainda mais agora que há um risco de "choque de civilizações" e um aumento dos extremismos, especialmente os religiosos.Chirac, eleito pela primeira vez para o Palácio do Eliseu em 1995 e reeleito em 2002, declarou com veemência seu amor pela França, um país que disse gostar "apaixonadamente"."Pus todo meu coração e toda minha energia ao serviço da França e da paz, que é o compromisso de toda minha vida", afirmou.Nos somente dez minutos que durou sua mensagem, Chirac aproveitou para destacar as conquistas de que se "orgulha": o reforço legislativo do laicismo, a reforma da previdência, a luta contra a insegurança e o desemprego, assim como a inovação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.