Chirac defende expansão do Conselho da ONU e cita Brasil

O Conselho de Segurança das Nações Unidas deveria ser ampliado para incluir a Alemanha e o Japão, além de países em desenvolvimento como Índia e Brasil, entre seus membros permanentes, disse o presidente da França, Jacques Chirac. Falando a cerca de 200 estudantes e professores na universidade de Oxford, Chirac apresentou sua visão de um mundo multipolar, equilibrado por vários blocos e alianças, não dominado pelos Estados Unidos.Falando ao final de uma visita de dois dias ao Reino Unido, Chirac disse que sua visão de mundo é partilhada pelo premier britânico Tony Blair. "Quando se trata de multilateralismo, compartilhamos da mesma visão", afirmou o presidente francês. "Quando se trata de novas regras da lei ou reforma da ONU, falamos com uma só voz".Para Chirac, o Conselho de Segurança da ONU "não representa mais o mundo como é hoje. Precisa ser modernizado". O Reino Unido também apóia uma ampliação do Conselho. França, China, EUA, Rússia e Reino Unido são os atuais membros permanentes. O líder francês sugeriu que o número total de membros - hoje são cinco permanentes e 10 temporários - deveria subir para 20 ou 25. "Não se pode tirar um instantâneo de 1945 e aplicá-lo a 2004", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.