Chirac defende nova resolução da ONU contra o Iraque

O presidente francês, Jacques Chirac,reiterou nesta quarta-feira sua recusa deusar automaticamente a força contra o Iraque, caso Bagdá nãorespeite as condições para a inspeção de armas. Defensor de uma nova resolução da Organização das Nações Unidas (ONU), Chirac manifestou sua posição em entrevista à Rádio Oriente, concedidaantes de partir para uma visita ao Oriente Médio. A confirmação da posição francesa coincide com a abertura deum debate público sobre o Iraque no Conselho de Segurança da ONU ainda dividido sobre a situação. Washington, segundo o secretário de Estado americano, ColinPowell, está analisando "novas idéias" francesas para umreforço das condições do desarme iraquiano, que poderiamdestravar a situação nas Nações Unidas (ONU). "Washington insiste em uma resolução que permitiralançar automaticamente uma ação militar, caso considere que ascondições das inspeções não são respeitadas por Bagdá. A Françaé totalmente contra a isso", afirmou Chirac. Para o presidente francês, "existe um perigo potencial napresença, provável ou possível, de armas de destruição em massaem mãos dos iraquianos". No entanto, segundo Chirac, o objetivo"é desarmar o Iraque e não trocar o regime".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.