Chirac é indiciado em Paris

O ex-presidente francês Jacques Chirac foi indiciado ontem em uma investigação sobre um suposto sistema de funcionários-fantasmas criado durante seu mandato na Prefeitura de Paris (1977-1995). De acordo com o advogado de Chirac, Jean Veil, o juiz Jacques Gazeaux, do tribunal de Nanterre, subúrbio da capital francesa, acusou o ex-presidente de pagar salários a sete integrantes do então partido Reunião para a República.

AE, Agencia Estado

19 de dezembro de 2009 | 09h00

A legenda foi criada por Chirac em 1976 e transformada, em 2002, no União para um Movimento Popular, partido do atual presidente francês, Nicolas Sarkozy. Antes de tomar a decisão de indiciar o ex-presidente, o juiz fez um interrogatório de cerca de 20 minutos com Chirac, que voltou a negar as acusações.

Um comunicado divulgado pelos representantes de Chirac afirmou que, em 2007, o ex-presidente foi testemunha e respondeu todas as questões relacionadas com os sete supostos funcionários fantasmas. A nota ressalta que, desde então não houve nenhum elemento novo na investigação.

Se considerado culpado, o ex-presidente pode ser sentenciado a 5 anos de prisão, além de ter de pagar uma multa de 75 mil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaChiracindiciamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.