Chirac oferece asilo a guerrilheiros colombianos

O presidente Jacques Chirac reiterou que a França está disposta a receber alguns guerrilheiros colombianos como parte de um possível acordo pela libertação de Ingrid Betancourt, disse uma porta-voz do governo. Chirac afirmou que a França e outros países da União Européia aceitarão receber rebeldes atualmente encarcerados caso seja selado um pacto humanitário para libertar Betancourt e outras pessoas seqüestradas pela guerrilha, afirmou a porta-voz Catherine Colonna em entrevista telefônica.Betancourt, que tem dupla nacionalidade (colombiana e francesa), foi seqüestrada há dois anos, em 23 de fevereiro de 2002, pelas Farc, o maior grupo rebelde do país sul-americano. As Farc tentam trocar Betancourt e dezenas de políticos, policiais e soldados seqüestrados, por rebeldes encarcerados.O presidente colombiano, Alvaro Uribe, já descartou qualquer possibilidade de haver troca de prisioneiros com as Farc, a menos que o grupo aceite que todos os rebeldes libertados sejam enviados ao estrangeiro e nunca mais regressem à Colômbia. Para as Farc, tal condição é inaceitável. A oferta de Chirac de receber rebeldes libertados data de 2002, quando Uribe visitou a França, disse Colonna. Segundo ela, o presidente francês reiterou sua oferta durante uma reunião com a irmã de Betancourt, Melanie, de 18 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.