Chirac pede lei proibindo símbolos religiosos nas escolas

O presidente da França, Jacques Chirac, disse que pedirá ao Parlamento que aprove uma lei proibindo os lenços de cabeça islâmicos e outros símbolos religiosos nas escolas públicas. ?O secularismo é um dos grandes sucessos da República?, disse o presidente em discurso à nação. ?É um elemento crucial da paz social e da coesão nacional. Não podemos deixar que enfraqueça?.O presidente disse que trabalhará por uma lei que entre em vigor a tempo de regulamentar o próximo ano letivo. Lenços islâmicos, solidéus judaicos e grandes crucifixos estariam proscritos pela lei. As empresas também devem ser livres para proibir os funcionários de ostentar símbolos religiosos, por questões de segurança e bom relacionamento com a clientela, disse Chirac.O Conselho Francês da Fé Islâmica já expressou reservas sobre a proibição dos lenços, dizendo que a consideraria discriminatória e estigmatizadora. Não obstante, a aprovação da lei parece certa, com políticos de situação e oposição apoiando uma lei pelo secularismo.Chirac também disse que é preciso haver uma lei proibindo pacientes de recusar tratamento em hospitais públicos por conta de diferenças de sexo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.