Chirac reconhece direito do Irã de desenvolver tecnologia nuclear

O presidente da França, Jacques Chirac, disse nesta quinta-feira que não há uma contestação ao direito do Irã possuir tecnologia nuclear, mas advertiu que ele tem de se submeter a todas as regras existentes, inclusive a de inspeção de suas instalações, como está previsto nos protocolos internacionais."Não é um problema de contestação do direito a ter a tecnologia nuclear para o Irã. É um problema de respeito a uma decisão internacional que se impõe a todos. Já que se impõe a todos, não é para aborrecer alguém. É simplesmente porque os riscos são consideráveis, tanto os riscos de utilização de uma arma nuclear com as conseqüências que isso pode comportar, quanto o risco bastante grande de proliferação que isso pode implicar", declarou o presidente Chirac, em entrevista coletiva, no Palácio da Alvorada, ao ser questionado sobre a sua preocupação com o Irã.Chirac, que estava ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, fez questão de endossar as palavras do brasileiro. "Eu creio que o presidente Lula falou com sabedoria", afirmou o presidente francês."Tudo o que for feito para fins pacíficos, cumprindo tudo o que está nos protocolos internacionais, o Brasil tem direito de fazer, a França tem direito de fazer, o Irã tem direito de fazer", comentou o presidente Lula. Mas, prosseguiu acrescentando que, "agora, o Irã precisa se submeter a todos os acordos a que todos nós nos submetemos, porque aí nós iremos respeitar o multilateralismo, iremos respeitar as instituições que nós mesmos criamos, e o mundo vai ficar muito mais tranqüilo e muito mais em paz".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.