Chirac vai às regiões alagadas do sul da França

Um sombrio presidente Jacques Chirac inspecionou, hoje, as áreas devastadas pelas tempestades no sul da França, enquanto anunciava-se que o número oficial de mortos nas inundações subiu para cinco.Chirac, acompanhado por seus ministros do Interior e do Meio Ambiente, acompanhou os esforços das equipes de resgate na região de Bouches-du-Rhone, em torno de Marselha, antes de embarcar para uma visita à Tunísia, do outro lado do Mediterrâneo.?Penso nas vítimas e naqueles que perderam tudo?, Chirac disse aos repórteres, depois de uma visita de uma hora à povoação de Valabre, a cerca de 30 quilômetros de Marselha. ?Eles podem contar com a solidariedade da nação agora e sempre.?Chirac elogiou os esforços de milhares de civis e militares mobilizados nos esforços de resgate e disse que o governo está providenciando recursos adicionais para ajudar as vítimas. O ministro do Interior, Nicolas Sarkozy, disse que 7.000 participaram dos trabalhos.O governo, disse o primeiro-ministro Jean-Pierre Raffarin, liberou ?12 milhões (US$14.4 milhões) para a emergência e declarou a cidade de Marselha em estado de catástrofe natural. No mínimo, 3.600 pessoas foram evacuadas de suas casas até ontem. Dois edifícios em Marselha ruíram, sem causar vítimas mas forçando as autoridades a recolocarem 47 pessoas em um ginásio.O serviço de meteorologia francês, Meteo-France, mantém para hoje o alerta para 11 distritos sulinos. Autoridades avisam que o nível do Rio Ródano, que já está com quase duas vezes seu volume, continuará a subir perto das cidades de Avignon e Pont-Saint-Esprit.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.