Choque entre islâmicos e governo deixa 19 mortos na Somália

Insurgentes usam morteiros e foguetes contra os militares; 17 civis e dois soldados morrem nos confrontos

Agência Estado e Associated Press,

29 de janeiro de 2008 | 13h39

Militantes islâmicos com foguetes e morteiros enfrentaram nesta terça-feira, 29, tropas somalis e seus aliados etíopes em combates na capital Mogadiscio que deixaram ao menos 17 civis e dois soldados etíopes mortos, segundo testemunhas. Os embates ocorreram na segunda à noite, quando tropas somalis e etíopes conduziam buscas em casas do distrito de Hiliwa, no norte da capital, segundo o líder ancião Mohamud Haji Nur. Insurgentes também dispararam morteiros e lança-granadas em uma antiga fábrica de massas convertida em base militar etíope. Os soldados responderam com disparos de artilharia que atingiram áreas residenciais, segundo Nur. Ele disse que seus homens recolheram corpos de 15 civis. "Alguns morreram enquanto fugiam dos combates outros nas suas casas quando os foguetes etíopes em resposta aos ataques dos insurgentes atingiram suas casas", disse Nur. Dois soldados etíopes morreram nos combates, segundo Ali Bashir Ahmed Siyad, outro líder ancião. Em um outro incidente no sul da capital, foram recuperados os corpos de dois jovens que morreram em combates ocorridos na segunda-feira entre insurgentes e tropas do governo instaladas em um importante cruzamento perto do mercado Bakara, o mais importante da cidade. A Somália não tem um governo central efetivo desde 1991. Centenas de somalis foram mortos no ano passado em combates entre insurgentes islâmicos e um fraco governo de transição apoiado por forças da Etiópia. Os militantes decidiram combater o governo numa insurgência no estilo iraquiano depois que seu breve governo foi derrubado por invasoras tropas etíopes e forças especiais dos EUA em dezembro de 2006.

Tudo o que sabemos sobre:
Somália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.