Choque entre milícias deixa 30 mortos no Paquistão

Cerca de 30 pessoas, sendo pelo menos a metade militantes estrangeiros ligados à Al-Qaeda, foram mortas em dois dias de combate com grupos tribais paquistaneses perto da fronteira com o Afeganistão, disse nesta terça-feira, 20, um porta-voz militar.A batalha entre militantes estrangeiros, a maioria do Uzbequistão, e tribos da etnia pasthun começou no dia 6 de março, depois dos esforços do governo para convencer a população local a manter a ordem e impedir ações de militantes no Afeganistão.A batalha mais recente surgiu na última segunda, na aldeia de Shin Warsak, 7 quilômetros a oeste de Wana, principal cidade da região do Waziristão do Sul."O número de vítimas está crescendo e temos relatos de 25 a 30 mortos", disse o major-general paquistanês Waheed Arshad, porta-voz do Exército paquistanês.Ele disse que entre 15 e 20 mortos são militantes estrangeiros e acredita-se que a maioria seja de origem uzbeque. Cerca de 30 pessoas ficaram feridas.Entre os mortos há três crianças, atingidas por um morteiro quando saíam de um ônibus escolar, disse um professor.Centenas de militantes estrangeiros, incluindo uzbeques, chechenos e árabes, fugiram para as regiões tribais semi-autônomas no lado paquistanês da fronteira depois que forças lideradas pelos EUA derrotaram o Taleban no Afeganistão, em 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.