Choque entre militantes deixa 15 mortos no Paquistão

Pelo menos 15 militantes islamitas morreram durante um tiroteio neste sábado entre partidários de dois comandantes do Taleban paquistanês, ocorrido perto da fronteira com o Afeganistão. Em outro incidente, uma bomba explodiu parcialmente quando era desarmada nas proximidades de um escritório da Cruz Vermelha em Karachi, no sul do Paquistão, mas ninguém ficou ferido. A parede externa da instalação ficou parcialmente danificada, disse o policial Tahir Naveed.

AE, Agência Estado

25 de junho de 2011 | 10h27

Testemunhas disseram que viram dois homens numa motocicleta deixando o artefato, com 2,5 quilos de explosivos, no portão do escritório, informou o policial Raja Umar Khattab.

A porta-voz do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Sitara Jabeen, disse que não foi recebida nenhuma advertência sobre o ataque. "Não tínhamos ideia do que era", afirmou ela. "Estamos esperando os detalhes da investigação policial. Felizmente, ninguém se feriu."

Karachi é a maior cidade do Paquistão, com uma população de 18 milhões de habitantes e um histórico de violência étnica, sectária e política. Essas bombas pequenas são relativamente comuns na cidade e já foram colocadas em alvos diversos.

Os incidentes ressaltam o problema de violência no país, que luta para combater militantes islamitas que atrapalham a aliança de Islamabad com Washington.

O funcionário do governo Mir Alam disse que vários insurgentes também ficaram feridos durante a batalha deste sábado, ocorrida na região tribal de Orakzai. Esse tipo de confronto é comum em Orakzai, onde um número desconhecido de insurgentes e seus comandantes têm combatido uma ofensiva do Exército. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.