Choque entre trens mata pelo menos 57 pessoas no Egito

O ministro da Saúde egípcio, HatemEl-Gabaly, informou nesta segunda-feira que 57 pessoas morreram e 128 ficaramferidas no choque entre dois trens de passageiros no delta do Nilo,ao norte do Cairo. Os feridos, vários deles em estado grave, foram levados para seishospitais da região onde aconteceu o acidente, um dos pioresocorridos no Egito desde 2002, disse El-Gabaly, citado pela agênciaegípcia de notícias Mena. Fontes policiais e médicas informaram anteriormente que pelomenos 80 pessoas tinham morrido no acidente. O acidente ocorreu às 7h15 (1h15 em Brasília) entre um tremprocedente da cidade nortista de Lardo e outro que esperava naestação Qalyoub, 20 quilômetros ao norte da capital do Egito. Mais de 45 ambulâncias levaram as vítimas aos hospitais deQaliubiya e de Shebin al-Qanater. Efetivos do Exército, membros daDefesa Civil e equipes médicas participam dos trabalhos de resgate. O Governador de Qaluibiya, Adli Hussein, que se deslocou juntocom outros vários altos funcionários egípcios ao local do acidente,afirmou que a colisão ocorreu quando o trem número 808 que circulavaem alta velocidade se chocou com a parte traseira de outro, quevinha da de Qaliub. Fontes do Ministério de Transporte disseram que vários vagõesdescarrilaram e tombaram, e que os bombeiros conseguiram controlarum incêndio no trem que procedia de Lardo. A maior tragédia ferroviária da história do Egito ocorreu emfevereiro de 2002, após o incêndio de um trem que cobria o trajetoentre Cairo e Luxor (sul), lotado de passageiros, e que deixou 376mortos, segundo números oficiais.Notícia atualizada às 10h15min

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.