Choques junto ao muro; presos palestinos em greve de fome

Soldados israelenses dispararam balas de borracha nesta sexta-feira contra manifestantes que se aproximaram do ?muro de segurança? que Israel está construindo em torno - e, em certos trechos, dentro - de áreas palestinas. Também hoje, centenas de prisioneiros palestinos em centros de detenção israelenses recusaram comida, um dia depois que uma rebelião deixou 20 palestinos detidos e 5 guardas feridos.Encontros separados na Casa Branca com os primeiros-ministros palestino e israelense na semana passada não impulsionaram as conversações de paz, e as tensões entre os prisioneiros e em relação à barreira de segurança ameaçam o ?roteiro da paz? apoiado pelos EUA. A Ong Movimento de Solidariedade Internacional aos Palestinos disse que os soldados israelenses atiraram balas de borracha contra cerca de 300 manifestantes e 60 pacifistas estrangeiros que derrubaram um cerca de arame farpado diante do muro perto de Tulkarem, no norte da Cisjordânia. O grupo disse que 3 palestinos e 8 estrangeiros ficaram feridos.O exército disse que suas tropas usaram ?meios não-letais? para dispersar um grupo de vândalos que tentavam derrubar a cerca e que os militares invstigarão os ferimentos.O anúncio do premier israelense, Ariel Sharon, de que pretende contiuar construindo o muro de segurança enfureceu os palestinos, porque a barreira invade seus territórios em muitos locais, isolando cidades e vilas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.