Chuck Hagel inicia sua primeira viagem ao Oriente Médio

O secretário da Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, iniciou neste sábado uma viagem de uma semana ao Oriente Médio, onde vai se reunir com líderes israelenses para falar sobre a guerra civil na Síria e sobre o programa nuclear do Irã, além de discutir uma série de acordos de armas com Israel e dois países árabes.

Agência Estado

20 de abril de 2013 | 20h12

Em sua primeira visita à região como chefe do Pentágono, Hagel fará paradas em Israel, Jordânia, Arábia Saudita, Egito e Emirados Árabes Unidos. Todos são antigos parceiros dos Estados Unidos e estão preocupados com a ameaça do colapso da Síria e a suspeita de que o Irã busque uma arma nuclear.

Hagel foi alvo de críticas de alguns congressistas, que se opuseram à sua indicação para o cargo. Uma campanha pública, incomumente vigorosa, foi feita para impedir sua nomeação. Hagel foi acusado de ser "anti-Israel", algo que o senador republicano nega veementemente.

Os Estados Unidos concluem um acordo de armas avaliado em US$ 10 bilhões com Israel, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos que vai fornecer a esse países uma série de armamentos, dentre eles mísseis e aviões. Durante suas escalas em cada um desses três países, Hagel deve discutir detalhes dos acordos de venda de armas.

A visita de Hagel a Israel ocorre um mês depois de o presidente Barack Obama ter estado em Jerusalém, para assegurar aos israelenses o comprometimento norte-americano com sua segurança e pedir novos esforços para o avanço as negociações de paz entre Israel e palestinos.

Washington compartilha os temores de Israel sobre o conflito sírio, que representa uma ameaça direta ao país, especialmente se a Síria perder o controle sobre seu considerável arsenal de armas químicas.

A questão síria também deve estar no topo da agenda de Hagel durante seu encontro com autoridades jordanianas na capital do país, Amã. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAHAGELORIENTE MÉDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.