REUTERS/Terray Sylvester
REUTERS/Terray Sylvester

Chuva ameniza fogo, mas dificulta busca por vítimas de incêndios na Califórnia

Ao menos 27 pessoas trabalham no local em busca de desaparecidos nos incêndios; acesso está difícil

O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2018 | 19h10

LOS ANGELES, EUA - A chegada da chuva à costa da Califórnia colaborou com o combate aos grandes incêndios florestais que afetam o Estado, mas dificultou a busca por vítimas das chamas. Segundo a Agência de Resposta Federal a Emergências (Fema), o vento, o frio e a chuva tornaram as condições de trabalho no condado de Orange bastante difíceis. 

Ao menos 27 pessoas trabalham no local em busca de desaparecidos nos incêndios. "A chuva está misturando tudo e o terreno está com o acesso difícil", disse Richard Ventura, chefe da equipe que atua no local. 

Muitos dos oficiais que trabalham no local correm risco e têm de trocar as meias das botas para evitar hipotermia. Oito equipes da Fema trabalham no local. 

Segundo o Departamento de Florestas e Proteção a Incêndios da Califórnia, 90% das chamas já estão controladas. Antes da chegada das chuvas, na quarta-feira, esse número estava em 80%. Ao menos 83 pessoas morreram nos incêndios. 

O maior risco agora é o deslizamento de terras provocado pelas chuvas. Ao menos 800 pessoas devem trabalhar nas áreas afetadas ao longo do feriado de Ação de Graças. 

Milhares de pessoas estão desalojadas do Estado e ONGs prepararam 15 mil refeições para as vítimas do incêndio ao longo do feriado. Em um sinal de solidariedade, moradores das cidades afetadas estão abrindo as casas para o tradicional jantar de Ação de Graças aos que perderam as casas nos incêndios. 

“Agora temos que voltar a nossa vida normal”, disse o prefeito de Paradise, Jody Jones. A cidade, reduto de muitos aposentados e lares de idosos, foi a mais afetada pelas chamas. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.