Chuva complica trabalhos de resgate

Rodovias são fechadas e governo faz campanha por doação de sangue

EFE, O Estadao de S.Paulo

07 de abril de 2009 | 00h00

A chuva e os danos causados nas estradas pelo terremoto de 6,3 graus na escala Richter registrado na região central da Itália dificultaram as operações de resgate e envio de auxílio para as vítimas.Funcionários do Departamento da Defesa Civil alertaram que quanto mais tempo a ajuda demorar para chegar mais difícil será encontrar com vida os desaparecidos.As principais estradas que ligam Áquila ao restante do país tiveram alguns de seus trechos bloqueados nas duas direções e o trânsito de carga superior a 7,5 toneladas foi proibido no local. O Departamento de Defesa Civil ainda recomendou à população que não utilize as rodovias da área afetada.O chefe da Polícia Nacional, Antonio Manganelli, pediu aos motoristas que evitem as estradas que, segundo ele, serão utilizadas para comboios de resgate. O sistema ferroviário foi temporariamente suspenso, mas deveria ser retomado em sua capacidade total até a noite de ontem.As linhas de telefone fixas e móveis também deveriam voltar a operar normalmente até hoje. Dados do governo indicaram que 80% da energia elétrica que havia sido cortada já tinha voltado a funcionar. O governo regional também lançou um apelo urgente para doadores de sangue.Apesar do mau tempo, os serviços de emergência continuaram seus trabalhos, concentrados no centro histórico de Áquila. Barracas de campanha foram montadas em centros esportivos para receber os desabrigados. De acordo com as autoridades locais, os afetados pelo terremoto deverão esperar pelo menos 48 horas para retornar às suas residências. Muitos deles foram separados de suas famílias no momento do tremor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.