Chuva e tremor na parte do Congo castigada pelo vulcão

Vários tremores e uma chuva fria tornaram hoje ainda mais difícil a situação de centenas de milhares de habitantes do nordeste do Congo, onde uma erupção do vulcão Nyiragongo destruiu quase a metade da maior cidade da região e matou cerca de 100 pessoas. A erupção em 17 de janeiro deixou 10.000 famílias sem teto e centenas de milhares sem meios de sobrevivência. Vários abalos de terra sacudiram hoje a região, alguns deles com intensidade suficiente para destruir vários edifícios que haviam escapado dos três enormes rios de lava que passaram pelo centro de Goma. Do outro lado da fronteira, em Ruanda - que se livrou do fluxo de lava -, o ministério de Governo ruandês informou que 288 casas e 19 escolas foram destruídas pelos tremores. Os vulcanólogos disseram que cessaram as erupções do Nyiragongo, mas que os tremores continuarão, à medida que o magma for se assentando dentro da cratera.

Agencia Estado,

23 Janeiro 2002 | 13h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.